CIOs do setor de manufatura no Brasil pretendem elevar os investimentos em tecnologia da informação neste ano. De acordo com pesquisa da IDC Brasil, 42% das indústrias terão orçamento maior para TI em 2007, enquanto outros 42% manterão o patamar do ano passado. O levantamento foi realizado com 240 gestores de indústrias de máquinas e equipamentos, alimentos, metalurgia básica, veículos automotores e equipamentos de informática. Metade deles tem budget em torno de 200 milhões de reais para a TI este ano. O estudo denominado Brazil IT Investment Trends Manufacturing 2007 aponta que o grupo de manufatura é o que mais consome TI no Brasil, com 24% do total de investimentos dentre todos os segmentos de atividade no país. Os principais projetos até o final do ano serão de renovação de infra-estrutura (PCs, servidores e equipamentos de rede) e melhorias para buscar o aumento da eficiência, seja no relacionamento com fornecedores, em integração ou sistemas de gestão. Terceirização de serviços de TI também está no horizonte, embora o número de contratos de BPO (Business Process Outsourcing) seja baixo no setor de manufatura, com 15% de adoção no universo pesquisado. Por sua vez, atualização de sistemas é prioridade nos setores químico, de metais primários e farmacêutico, que têm intenção de adquirir novos módulos de CRM, BI, ERP e SCM (Supply Chain Management), bem como portais corporativos e dispositivos sem fio.